Investigação sobre resposta à pandemia será lançada ’em momento apropriado’, diz chefe da OMS

Investigação sobre resposta à pandemia será lançada ’em momento apropriado’, diz chefe da OMS

18 de maio de 2020 0 Por Renato Ojima

A Organização Mundial da Saúde (OMS) realiza uma reunião anual (virtual) de dois dias dos ministros da saúde dos 194 estados membros, onde o debate será dominado pela pandemia de coronavírus.

O chefe da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, declarou, nesta segunda-feira (18), que lançaria uma investigação “independente” sobre a resposta à pandemia pela agência da ONU e seus Estados membros “o mais rápido possível no momento apropriado”.

Reabertura de escolas após pandemia de coronavírus terá obstáculos como salas lotadas, falta de água e professores sobrecarregados

Chefe da ONU diz que mundo paga ‘preço alto’ por estratégias divergentes no combate à pandemia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) realiza uma reunião anual (virtual) de dois dias dos ministros da saúde de seus 194 estados membros, onde o debate será dominado pela pandemia de coronavírus. A União Europeia planeja apresentar uma resolução sobre o Covid-19 e está buscando apoio para sua adoção por consenso.

OMS diz que é crucial que haja coerência e coesão no governo, em todos os níveis

“Lançarei uma avaliação independente o mais rápido possível, no momento apropriado, para revisar as experiências e lições aprendidas e fazer recomendações para melhorar a preparação e resposta nacional e global à pandemia”, afirmou Tedros aos 194 países membros da OMS reunidos virtualmente para sua reunião anual.

A pandemia expôs alguns problemas críticos entre países que podem colocar em risco o combate ao vírus.
Ele enfatizou que a OMS declarou uma emergência de saúde no dia 30 de janeiro, o nível mais alto de alerta, quando haviam menos de cem casos fora da China. Nas semanas seguintes, a organização afirmou que havia uma janela de oportunidade para conter a pandemia.

“O risco continua alto e temos um longo caminho a percorrer”, afirmou Tedros. Testes sorológicos preliminares em alguns países mostraram que no máximo 20% das populações haviam contraído a doença e “na maioria dos lugares menos de 10%”, disse ele.

A entidade está comprometida com transparência, responsabilização e melhora contínua, e ele disse que receberá bem uma auditoria independente da OMS após a pandemia.
“Eu vou começar uma avaliação independente no momento apropriado mais breve”, disse ele.