A tática de guerrilha fez a diferença na Vinland

A tática de guerrilha fez a diferença na Vinland

9 de julho de 2020 0 Por Renato Ojima

A combinação de disciplina para zerar as posições em juros e reduzir bolsa brasileira em fevereiro/março, junto à rapidez para voltar às posições otimistas na hora certa garantiram a performance positiva da Vinland no primeiro semestre de 2020. Quem explicou a tática foi Mauricio Juncá, gestor do Vinland Macro, no Coffee & Stocks desta quinta-feira. O fundo foi um dos multimercados de melhor performance no semestre.

Com passagens pelo Banco Pactual e 8 anos como operador de juros e inflação na tesouraria do Banco Pan, Juncá se juntou ao time da Vinland em 2019. A gestora foi fundada em 2018 por André Laport (ex-sócio da Goldman Sachs) e James Oliveira (Ex-sócio do BTG Pactual e Ex-CEO/CIO do BTG Pactual Asset Management).

Tática de guerrilha da Vinland

Juncá contou que disciplina e agilidade sempre fizeram parte do cotidiano dos membros da equipe de gestão da Vinland quando eles ainda trabalhavam em outras instituições, e isso foi fundamental para passar pela crise. “Tínhamos posições otimistas que carregávamos no fundo desde o ano passado, mas zeramos rapidamente no início de março. Isso nos deu tranquilidade para observar com calma a chegada do coronavírus no mundo e os impactos econômicos que ele poderia gerar para as economias, no preço dos ativos de risco e no mercado de credito”, contou o gestor.

Entre as posições reduzidas no começo do ano estão a parcela aplicada em juros curtos (após o Banco Central ter indicado em fevereiro que o ciclo de queda estaria se encerrando), e as posições compradas em bolsa brasileira, à medida que as notícias pioravam. Como proteção, o fundo comprou dólar frente a uma cesta de moeda.

“Conseguimos passar pelos limites de alta da bolsa e juros de maneira tranquila […] Após entender que o choque nas economias não causaria pressão inflacionária, voltamos a montar posição aplicada em juros no Brasil e México. Em junho nós decidimos aumentar nossa posição em bolsa”, disse Juncá.

Carteira

Neste momento, 50% do risco do fundo está em bolsa, sendo metade em Brasil e metade nos EUA. Eles ainda carregam posições aplicadas em juros curto e médio no Brasil e no México, que, aliás, tem sido consenso nas posições em juros dos gestores entrevistados dessa semana. “O país [México] está com os juros fora do lugar, a economia mostra sinais de recuperação lenta e os estímulos monetários e fiscais por lá não foram contundentes como em outras economias. Isso poderá trazer alguma fragilidade na recuperação econômica do país”, completou o gestor.

Confira a Live completa clicando na imagem abaixo.

O Coffee & Stocks é transmitido todo dia útil ao vivo às 7:15 da manhã no Instagram do Stock Pickers. Ele é apresentado pelo co-criador do Stock Pickers, Thiago Salomão